Bianca Bracho -->

Em um mundo onde somos números, como fazer a diferença?


Você já parou para pensar em que somos números? Seja em um trabalho, como até mesmo em relacionamentos?
Atualmente as pessoas tem acessos a diversas tecnologías, algunas muito boas e outras nem tanto.
Com tanto acesso a informaçao, fica bem difícil ser diferente em um mundo onde a competitividade esta presente em tantos lugares.

Esses días conversando com um amigo, percebi que até nos relacionamentos isso acontece, o primeiro que responde leva hahahhaha e nao importa se você é uma pessoa maravilhosa e que esta disposta a mover céus e terra por algo. Rapidamente alguem pode substituir o seu lugar.
E volto a repetir o titulo, EM UM MUNDO ONDE SOMOS NÚMERO, COMO FAZER A DIFERENCA?
Você já parou para pensar nisso?
Em quantas vezes você foi dispensado porque rápidamente encontraram alguem igual ou melhor que você?
E gente nao pense somente no ámbito profissional, quantas vezes você se ausentou por um tempo com um carinha que saia e ele rapidamente conheceu outra garota? Hahahhaha Ou que a pessoa conseguiu conhecer alguem que morasse mais próximo, porque segundo a pessoa, você mora muito longe e dificulta as saidinhas?
Ou voltando ao ámbito profissional, quantas vezes você foi em uma entrevista, sabendo que foi super bem, que cumpria com todos os requisitos e nunca nem te deram um feedback? Ou até mesmo quando te demitiram, porque de um dia para o outro você deixou de performar bem e eles decidiram te trocar por alguém que sabe metade do que você sabe?
Estamos em uma época que passamos de pessoas a números, poderia dar infinitos exemplos mais, porém o intuito é te indagar a pensar, a querer se transformar na sua melhor versao. Vai ter frustraçao nesse caminho vai ter sim, mas meu bem….aprenda! O que é seu será, para se destacar, você precisa primeiro se conhecer e entender quem és, caso contrario, você vai querer o tempo todo parecer algo para agradar aos demais e vai por mim, tudo que sai da sua vida é porque nao era para ser seu. Seja trabalho, boy, mina, amiga….
Espera que vem algo bem bom para você, porque dizem que tudo que é bom demora em chegar.
Se voce se identifica deixe aquí o seu comentário

Beijos Beijos

Mulheres Brasileiras x Mulheres Argentinas










Queridos e Queridas,
Depois de escrever sobre as minhas impressões sobre os homens brasileiros e homens argentinos, o Lucas se interessou e decidiu contar para nós o que acha sobre o assunto.
Espero que gostem!

------------------------------------------------------------------------------

No começo só quero dizer que é a primeira vez que vou escrever desse assunto, eu sou argentino e gosto muito da cultura brasileira. Depois de me topar com o post da Bianca, eu senti inspiração pra contar minha história mas desde o lado dos homens em relação as mulheres argentinas e brasileiras.


1) Xaveco (piropos):
Argentinas: na verdade a mulher argentina acho que é a mais difícil de abordar já que acho que são muito seletivas na hora de receber piropos (xavecos). Com o assunto de “nenhuma menos” (não é não no Brasil) a situação tá meio difícil pra xavecar direito!
Brasileiras: Dependendo a situação que você esteja, eu acho a mulher brasileira muito mais receptiva e com predisposição pra falar se você começa xavecar.. Acho que é uma coisa cultural de ser pessoas abertas pra falar, pelo menos essa é minha impressão.
Obs: como fato, eu posso dizer que pode continuar o xaveco até conseguir o telefone em minutos com um possível “crush brasileiro” se ela coloca cara de 🤤 enquanto você começa falar com sotaque de fora. Essa é minha dica pra vocês 💪🏻


2) Primeiro encontro:
Argentina: geralmente pode fechar pra sair com dois ou três dias antes de a gente se ver. Se não com certeza que vai ficar sem sair se não concreta o date assim. Não gostam de fechar de um dia pra outro e também não com muita antecedência. Geralmente a primeira saída pode ser alguma coisa pra compartilhar na tarde (merienda não lembro como é que se diz) ou algum barzinho à noite por Palermo.
Brasileiras: Se uma brasileira promete uma segunda que quer sair na sexta com você, acredite na palavra dela seguro você vai dar certo meu amigo! Toma a iniciativa e sempre proponha um bom lugar, que com atitude e o jeito de falar como argentino vai ter sucesso 👍🏻


3)Reais intenções:
Argentinas e brasileiras: Pelo menos eu sempre vou com a intenção de curtir o momento do encontro, sem importar o lugar que seja.. Quando falo de curtir significa manter um bate papo interessante pra a gente se conhecer e só deixar fluir.


 4) Desaparecimento:
Argentinas e brasileiras: Acho que é um comportamento normal das pessoas quando não dá pra continuar se conhecendo. Eu quando não rola o assunto tento ser uma pessoa que não força as situações.
Acho que aqui joga o fator importante que é a humildade em dizer hoje não é pra mim.. pessoal, a humildade e sinceridade com um mesmo é a ferramenta mais poderosa que você tem. 
Garotas, aqui va uma pergunta pra vocês: se você gosta dele e desaparece, o que ele estaria te refletindo em você? Que aprendizagem pode tomar disso? 


5)Saídas
Argentinas e brasileiras: Acho que se você tem uma real intenção de conhecer a mulher, independentemente se é argentina ou brasileira.. qualquer uma aceita alguma saída durante a semana ou fds.
Obs: com uma argentina no começo não seja muito acelerado em combinar uma segunda saída tão perto do dia que você conheceu ela porque com certeza vai sumir.. essa foi minha experiência.


6) Questionar sobre a relação:
Argentina: Eu só perguntei uma vez em minha vida pra uma argentina e acabou sendo minha namorada nesse momento haha.
Brasileira: Continuando com minha sinceridade, 3 vezes me perguntaram e o resultado foi parecido com a nossa amiga Bianca.. eu não aceitei e sumi. Sendo um pouco autocrítico, tal vez não foi o momento pra a gente estar juntos ou eu não estava preparado.
Em definitiva é uma pergunta que pode separar ou unir.. só tem que estar preparado pra escutar!


Moral da história:
Irmão, não sei se existe a mulher perfeita.. independentemente se é argentina ou brasileira.
Eu considero que se as duas pessoas estão na mesma conversação, alineadas e os dois estão preparados pra ficar juntos, vai acabar sendo assim.
Às vezes quando não dá certo nós costumamos perguntar o que estou fazendo mal? Acho que se muda a pergunta, suas respostas também.
Por enquanto, eu sempre me faço a pergunta de qual aprendizagem me deixou essa experiência que eu vivi. E ali tomo o que preciso e o que não, eu jogo no lixo como dizem os brasileiros.
Espero que gostem do texto como eu gostei de escrever!
Qualquer dúvida, só entrar em contato.
Abraço 🤗


Texto de: Lucas Cutro


--------------------------------


Gostaram? se interessam por textos assim?


Me avisem, assim posso preparar mais textinhos legais e sob pontos de vistas diferentes.


Beijos Beijos

Como se acostumar a morar em outro país?





Oi meus bens!
Tudo bem?
O assunto de hoje é: "Como se acostumar a morar em outro país?"
É algo bem complexo na verdade, muitas pessoas veem minhas fotos ou meus textos e falam..."nossa você se acostumou super rápido, né"?
Não, na verdade não!
É muito difícil meus bens morar em out
ro país e se acostumar, posso dizer que mesmo morando há 2 anos e alguns meses tem coisas que eu não vou me acostumar nunca!
Vou dar alguns exemplos bem básicos:


1) Deixar as coisas para o úlitmo momento, sim gente...não me acostumo a isso ahhhahaa pelo menos no meu meio social o pessoal é bem relaxado e deixa tudo pra última hora (roles, viagens, encontros, avisos);
2) Atravessar a rua correndo, porque mesmo fechado o sinal, tem carro passando (só vai entender quem vive aqui ou quem já veio). Nunca temos a prioridade para atravessar a rua.
3) Sair as 2h00 da manhã para a balada, gente ahhhaaha a balada aqui abre as 2h00 am haahha pensa em alguém que antes de sair dorme? correndo o risco de acordar depois do horário de ir pra balada hahahahaha sim é assim!
4) Aumento dos preços a cada 6 mese, eu pelo menos sou pobre e meu salário nunca aumenta na data que decidem aumentar o preço das coisas, então sofro muito com isso. Sobe tudo, comida, aluguel, cursos, baladinhas...
5) Desaparecimento dos boys hahaahh


(tem muitas outras coisas que não me acostumei ainda, mas deixo para outro post).


Sim, esses são alguns exemplos que na minha opinião dificultam muito me acostumar a viver aqui, mas eu vou te dar umas dicas haaha
Eu me acostumei em muitos aspectos aqui, o primeiro, se você quer morar em outro país você PRECISAAAAA fazer amizades com as pessoas que nasceram no local, isso te ajuda muito. Meus amigos mais próximos sabem que eu falo bom dia até para os mendigos do meu bairro, sim! Faz toda a diferença, conheça as pessoas, o tio do açougue, a mocinha do pet shop, a japa do mercadinho, a tia da loja de verduras, os moradores de rua.
Faça amigos não só do bairro, faça amigos!!!! Conheça pessoas que também passam pelo mesmo que você e não precisa nem ser só os brasileiros, pode ser os colombianos, venezuelanos, europeus...Buenos Aires pelo menos esta cheio de estrangeiros, conheça pessoas que possam te ajudar na adaptação, pessoas que também estão passando pelas mesmas coisas que você.
Além disso, recomendo que você more em um bairro comum, para entender a vida dos locais, pagar mais barato também nos produtos básicos e poder se sentir parte de algo. Eu moro em um bairro bem tranquilo e que me proporcia a sensação de como se eu estivesse em São Paulo, no bairro que morei minha vida toda.
Experimente tentar fazer as comidas que você gosta com os produtos locais, sem precisar chorar porque não encontrou algo que queria cozinhar, vai por mim...aqui tem muita coisa que você pode substituir, além dos mercadinhos com produtos brasileiros, então quando bater saudades da comidinha de casa, procura um lugar que você possa comprar esses produtinhos.
Esteja aberto, saiba respeitar, mas também tenha opiniões formadas. Não é porque você esta morando em outro lugar que tem que se fechar a opinião dos demais ou a sua. Esteja aberto, respeite, mas também mostre sua opinião. Acredito que fiz muitas amizades por simplesmente ser eu mesma com as pessoas do meu convívio e muitos permaneceram por eu ser dessa forma.
Vá para festas locais, é otimo as vezes ir em uma festa brasileira, mas vá também em festinhas argentinas, poxa, é tão legal quando você conhece algo novo. Vai te ajudar a entender muito mais como as pessoas daqui são e como se comportam.
Pratique o idioma e busque um trabalho que você possa melhorar ainda mais os seus conhecimentos, trabalho aqui não falta! Vai por mim, se você tiver amigos ou conhecidos...eles sempre poderão te falar quando souberem de algo e eu te garato que opções não faltam! Trabalhar também é uma excelente forma de se acostumar e criar vínculos em outro país.
Estude também, Buenos Aires é o lugar perfeito para estudar pagando pouco, aproveite para estudar e poder aprender. Isso é o plus para se adaptar mais rápido ainda aqui.




Bom gente, esse foram as minhas dicas de como me acostumei a morar aqui em Buenos Aires...e voce? Oque faz para se acostumar?


Espero que tenham gostado!


Beijos Beijos
 


Homens Argentinos X Homens Brasileiros


Oi gente,
Decidi voltar a escrever sobre o assunto, pois muitas vezes recebo mensagens de amigas, conhecidas e leitoras perguntando sobre como são os homens argentinos.
Posso dizer pela experiencia que tenho morando em Buenos Aires durante 2 anos e meio que conheci diferentes estilos de homens, dos quais muito me surpreendi.
Qualquer relacionamento com argentinos, seja como amiga, peguete ou afins é bem diferente dos que ja vivenciei no Brasil. Você precisa ter paciência, muita paciência, pois os tempos são diferentes dos tempos que estamos acostumados no Brasil, onde em 5 minutos você pode pensar gostar muito de uma pessoa sem nem ter conhecido bem. Nas minhas experiências aqui, isso me surpreendeu muito, pois tudo tem outro tempo, as pessoas primeiro desconfiam para depois confiar e acredito que está ótimo que isso aconteça, pois assim só os realmente bons permanecem.
Minhas experiências com os homens não foram das melhores, me frustro muito só de lembrar, pois com tantas frustrações confesso que me deprimi um pouco e tive que trabalhar por muito tempo em terapia sobre isso, mas de modo geral pelo menos comigo, as relações com os argentinos e brasileiros são completamente diferentes...lembrando são as minhas experiências!
Primeiramente vou listar algumas diferenças e não existe bom ou ruim, ta?


1) Xaveco (Piropos):
  • Brasileiros: brasileiro é bem direto e não dá muita volta, se está afim de uma mulher, vai e tenta puxar assunto, vai te falar que te achou linda e por ai já vai dizer que quer te conhecer, caso a mulher não tenha interesse, ele pode insistir um pouco, mas se você não quiser, ele não perderá as esperanças da noitada e vai procurar outra que queira ahhahha pelo menos eu sempre percebi assim.
  • Argentinos: são um pouco mais lentos, observam bastante antes de se aproximar, só se aproximam se houver uma troca de olhares ou algum sinal que você realmente tem interesse. Quando te xavecam parece até que fez o xaveco pensando em você, vai falar algo que só ele viu. Quer um xaveco personalizado? Venha para Buenos Aires!
Obs: em partes a rapidez dos brasileiros chegam a assustar e em partes a lerdeza de alguns argentinos também cansa hahaaha



2) Primeiro encontro:


  • Brasileiros: pelo menos nas experiências que tive morando em São Paulo, geralmente o primeiro encontro era no cinema, um jantar, barzinho, parque. Combinado com alguns dias de antecedência.
  • Argentinos: nem sempre, mas geralmente é combinado bem próximo do dia que será o encontro (argentinos são muito espontâneos e ás vezes deixam para o último segundo). As opções sempre vão incluir locais com pouca luz e com alcool incluído. Não sei se por se sentirem intimidados com o encontro. (Alguém poderia me explicar?).
3) Reais intenções:

  • Brasileiros: muitas vezes conheci pessoas que logo no primeiro encontro já informavam que não queriam nada sério, pois haviam acabado de sair de um relacionamento ou algo do tipo.
  • Argentinos: pelo menos nunca conheci nenhum que me falasse desde o começo quais eram as intenções, são bem galanteadores e costumam falar muitas coisas bonitas. Não se confunda! Eles são assim por natureza, não é que você é a pessoa mais maravilhosa do mundo, ou melhor...pode até ser...mas espere antes de achar algo que talvez não seja.
4) Desaparecimento:

Brasileiros e Argentinos desaparecem, mas os brasileiros tendem a fidelizar, no sentido de que, apesar de não ver a garota, meio que deixa nos contatinhos, continua escrevendo e mantendo contato. Argentinos pelo menos os que conheci, em um determinado momento desaparecem e depois de uns meses voltam a aparecer como se nada tivesse acontecido. E não espere um super texto pedindo desculpas, você provavelmente vai receber algo como ´Qué Onda?´

É VERIDICO!


5) Saídas:

  • Brasileiros: encontros geralmente são nas quartas, sextas, sabados ou domingos. Independentemente se for um lance sério ou não.
  • Argentinos: qualquer dia é dia, a vida noturna aqui pode ser em qualquer dia, porém, pelo que analisei se um cara tiver interesse real em você ele vai querer te ver no final de semana, ou mais de uma vez na semana.

 6) Questionar sobre relação:

  • Brasileiros: nunca precisei, visto que como comentei acima, geralmente deixam bem claro o que querem.
  • Argentinos: já perguntei duas vezes e minha experiência foi péssima, porque desapareceram...ou melhor deve ter sido um livramento ahahahhaha

MORAL DA HISTÓRIA:

Não existe certo ou errado, as pessoas são diferentes e conheço muitas pessoas que não seguem nenhum padrão, mas acredito no seguinte...quando for sua hora...pode ser brasileiro, argentino, australiano, jamaicano...FIA ESSE BOY VAI CHEGAR E NÃO VAI TER COMO FUGIR. Enquanto isso, você vai encontrar muitas pessoas, que ás vezes vão te magoar e outras que vão te trazer muitas alegrias, se algum por acaso desaparecer ou te der um fora, não se preocupe...é só um sinal de quem não é pra você. Ás vezes colocamos a culpa nos outros, que você não esta com ninguém porque ninguém quer nada sério, mas sabe de uma coisa...sempre existirá alguém pra você, pelo menos eu penso assim ahahhaha

Espero que gostem desse texto...
qualquer dúvida, sugestão...
Estou a disposição!

Beijos






Histeria, o que é?

Oi meus bens, tudo bem?
O assunto de hoje é HISTERIA!
Não utilizamos tanto essa expressão no nosso dia-a-dia, mas aqui na Argentina sim! Então decidi  fazer um pequeno resumo sobre o que se trata.
Você deve ter escutado pelo menos uma vez na sua vida alguém falando essa palavra, geralmente quando alguma mulher gritava muito ou estava chamando a atenção de forma exagerada.



Vamos para a definição:


Histeria o que é:

Vamos dividir a histeria em duas partes uma em um traço de personalidade ( uma forte tendência a ser o centro das atenções, seduzir e sensualizar as reações sociais e afetivas, manipular ou confundir a realidade, ​teatralizar os conflitos e fazer "joguinhos") e a doença conhecida também como histeria (alterações da consciência, podendo gerar manifestações sensitivas e psí
quicas).


E ai vai algo muito interessante, quando descobriram a Histeria, ela era definida também como uma doença que atingia somente as mulheres, sendo ocasionada pela falta de sexo e que poderiam ter algum tipo de problema nos úteros, posteriormente verificaram que se tratava não somente de um fator biológico, mas sim de um fator psíquico gerado por ideias insconscientes causando os distúrbios psicopatológicos.


Mas aii que a galera se engana, conforme foram estudando a histeria descobriram que ela não atingia somente as mulheres, mas os homens também.


Aqui na Argentina, as pessoas utilizam muitos conceitos psicológicos para demarcar a população, usando algumas expressões para situações corriqueiras como, por exemplo, um cara simplesmente deixou de te responder e as pessoas falam por exemplo que ele esta sendo histérico...
Se uma mulher expressa sua opinião contraria a dos demais, também pode ser considerada como histérica. Os homens chamam as mulheres de histerica e as mulheres chamam os homens de histericos hahahha é uma loucura.
Ou por exemplo, quando a pessoa esta fazendo joguinhos e se fazendo de "difícil". Sim, quem nunca presenciou isso?


Confesso que quando cheguei e escutava as pessoas utilizando essa palavra o tempo todo, cheguei a pensar que estava em um lugar cheio de pessoas com transtornos psicológicos hahahaa mas na verdade as pessoas aqui adotaram como uma expressão casual.


Espero que gostem e possam esclarecer suas dúvidas quanto ao uso da palavra.


Obs: utilizei de uma linguagem bem simples, para que todos possam entender.
Se você se interessa pelo assunto leia sobre as teorias de Freud, Charcot e Breuer.




Beijos Beijos



Você já teve uma crise existencial? Eu sim!

Welcome to my life!
Desde que moro na Argentina, percebo que as minhas crises existenciais tomaram uma proporção ainda maior. Posso dizer que elas são bem mais frequentes e que geralmente elas aparecem quando algo que eu queria muito que acontecesse nao acontece.
É como se por um simples acontecimento todos os demais aspectos da minha vida fossem afetados e começa um momento de longas reflexões. Ás vezes chego até a sonhar com aspectos da minha vida que não estão como eu gostaria, reforçando ainda mais que algo não esta bem. 
Mudanças são grandes aliadas as crises, porque quando você muda algo, você pode ter um retorno muito positivo, mas também pode sentir como se essa mudança nao fosse a melhor coisa que poderia acontecer.
Uma crise é uma crise e deve ser respeitada, acolhida e escutada em caso o outro queira falar.









Posso demarcar as minhas crises em 5 estágios:

  1. Cansaço mental: Você pensa tanto, que cansa. Não sei se você já sentiu isso...mas eu sou super ansiosa, mesmo quando não estou em uma das minhas crises existenciais, então normalmente me canso só de pensar hahhahah
  2. Perda de interesse em compartilhar momentos com outras pessoas: sim, nessa busca incessante para resolver o que te atormenta, você tende a querer espaço para poder pensar bem e refletir sobre o que vai mal. Podendo até dar umas patadinhas em algumas pessoas e aproveitando para mandar aquele textão que você não tinha coragem antes...afinal você esta cansado.
  3. Pessimismo e desanimo: a crise existencial aparece quando algo dá muito errado, você vai repensar sobre as suas escolhas e sobre o que esta fazendo da vida, pensando até ás vezes de forma pessimista e desanimada.
  4. Sensação de estar perdido: sim, são tantos os pensamentos e ideias que aparecem que você sente que nada esta dando certo. As sensações de incerteza e insegurança são angustiantes.
  5. Insight: depois de chegar no fim do poço, vem do nada uma ideia, algo que te traz de volta a superfície. Essa é a parte que eu mais gosto, obviamente...porque é aqui que parece que as coisas podem melhorar.




Trouxe esse texto pra vocês, pois estou passando por uma crise agora, é bem complicado abrir um aspecto tão particular e pessoal meu, não é porque estudei psicologia que estou imune a esse tipo de coisas, acredito que quando vem é ainda pior, porque você mesmo se condena ao fato de REAGEEEE você tem que estar bem, lembre das ferramentas que aprendeu e saia dessa crise.
De fato, acredito que graças as técnicas apreendidas a caída não é pior, mas assim como você eu sou humana, tenho sentimentos, pensamentos...
Morar em outro país é muito difícil, tem horas que é tão maravilhoso e reconfortante e tem horas que não...porque você sente que ninguém te entende e pode te acolher como os seus o fariam.
Acredito que a nossa geração esta cada dia mais propensa a esse tipo de conflito, já que vivemos insatisfeitos com tudo, como nosso trabalho, com nossos estudos, nossos relacionamentos...
A melhor forma de não demorar tanto tempo em uma crise, é pensar o seguinte: o que esta acontecendo agora poderia ser bem pior? Vamos agradecer?
Eu tenho várias e várias listas em cadernos para que eu enumere as coisas positivas e até não positivas que vem me acontencendo e pensando que sim, poderia ser bem pior...então vamos agradecer que nao foi tão ruim? Sim!!

Se você assim como eu, sofre ás vezes com as crises existencias, me escreva! Não se sinta sozinho nessa luta chamada vida!


Beijos






A verdade nua e crua de se viver em outro país

Eu com os meus altos e baixos, decidi que esse seria um bom momento para contar pra vocês sobre a verdade nua e crua de se viver em outro país.
Eu poderia mentir e dizer que nossa é uma maravilha, que todos os dias são maravilhosos e que você estará partindo para algo incrivelmente maravilhoso.
Na real, sim, é maravilhoso, mas também quando algo vai mal parece que você vai realmente para o fundo do poço.
Quando você esta bem, você sente como que fez a melhor escolha da sua vida e que ninguém será capaz de acabar com essa alegria toda.
De fato, morar em outro país pode parecer ás vezes como se você estivesse numa dessas novelas de péssimo gosto, lotadas de gente que só esta esperando uma caída sua para dar o bote, mas na verdade acho que essa é a vida real. Você não vai conhecer só pessoas que queiram permanecer na sua vida, vai encontrar muita gente passageira mesmo e que muitas vezes só vai querer algo em troca.
Muitas vezes conhecerá pessoas com as quais vai querer passar o resto dos teus dias, porque de fato, quando se vive em outro país você estará mais aberta, mais disposta ao novo e vai aceitar talvez passar por situações que normalmente não aceitaria. Você esta em outro país com pessoas que muitas vezes pensam de maneira diferente da sua, outras pessoas que muitas vezes são tão parecidas com você que você se sentirá como se tivesse nascido no país errado.



Talvez escute uma música e sentirá como se aquela música fizesse parte de toda a sua história.
Conhecerá muita gente, das quais com o tempo selecionará com quais vai querer passar mais tempo, definirá sua semana uma semana antes, já que como você não tem muitos amigos ou familiares no novo país, preferirá garantir que as pessoas que você conhece passem tempo com você.
E não que viver em outro país vai ser saída todas as horas, porque você mesmo que precisando sair, nem sempre encontrará alguém disponível para tal. Pensa que os almoços de domingo, não serão a mesma coisa já que os teus familiares estão em outro país reunidos e que talvez você consiga juntar alguns amigos solitários também para aproveitar esse momento.
Você também sentirá uma liberdade infinita, da qual mesmo que você more no seu país de origem, na sua cidade, não poderá desfrutar da mesma forma, já que muita gente te conhece e nem sempre te aceitam tal qual você é.
Você sente falta da sua cidade, mas sabe que mesmo voltando de férias, você já não faz mais parte daquilo, porque você passou tanto tempo longe, que tanta coisa mudou e que não é mais possível acompanhar. Vai por mim, quanto mais tempo você passar longe, mais difícil será voltar, mesmo morrendo de vontade de jogar tudo para o ar e voltar para o seu país de origem.
Acho que a partir do momento que você sai do seu país, é muito difícil voltar, mas também é muito difícil permanecer nesse lugar que está hoje. É tão difícil que você se sentirá angustiada, perdida, com saudades, mas ao mesmo tempo vivendo, aprendendo, sofrendo, feliz, voltando a sofrer e depois voltando a rir.
Se você tiver alguma questão mau resolvida, vai por mim, pode parecer ainda pior. Sei lá, acho que morando longe, percebi que sou uma pessoa que muitas vezes se sente só, triste, sinto mais vontade de chorar do que qunndo morava no Brasil, confesso até que tem que horas que nem sei o que fazer, mas depois me lembro que se eu não lutar, quem lutará por mim?


É difícil, porque eu achava que aqui encontraria o amor verdadeiro, que teria um milhão de amigos e que não me sentiria triste, mas a real é que sinto falta de ter alguém, sinto falta de um carinho e até mesmo de atenção ás vezes. Você vai conhecer muita gente, uns melhores e outros nem tanto. Vai ter que aprender a lidar com a frustração também, porque ela sempre vem, as expectativas as vezes são muito mais altas do que deveria.
Também te alerto, que ás vezes quando você visitar as pessoas que ama no Brasil, elas nem sempre estarão tão disponíveis como quando você morava lá. Eu já me decepcionei muito, muito mesmo! Porque as vezes nem sempre as pessoas se importam tanto com o fato de que você estará passando uns dias e gostaria de ver algumas pessoas, sei lá, nem todo mundo é igual e nem todo mundo sempre está disponível e ai você as vezes acredita que é tão especial que quando você for, todos farão o possível e o impossível para estar com você.
É duro mudar, é duro sair da zona de conforto, só sei que tenho aprendido tanto, tanto que nem sei mais o que vou aprender. Não sei se voltarei a viver no Brasil ou se passarei minha vida toda aqui. Tenho aprendido que talvez tenho que deixar as coisas rolarem, mesmo eu acreditando que as coisas poderiam acontecer como eu gostaria.
Acho que é melhor deixar na mão do destino, que o que tiver que acontecer acontecerá e o que não tiver que acontecer, a vida vai dar um jeito de tirar.
Esse foi meu desabafo, acho que todo mundo passa por um momento meio bad e um momento meio onipotente onde tudo dá certo.
O que aconselho a todos que querem fazer essa grande mudança é de que pensem muito bem, pois nem todo é um mar de rosas e também nem tudo é triste, vale a pena se dar a oportunidade, mas também tem que estar preparado para dizer adeus para algumas coisas que infelizmente você perderá morando tão longe.
Beijos


 


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *